(49) 3221 1081
R. Benjamin Constant, 141 Centro, Lages - SC

Universo fabuloso da Casa da Mamãe Noel estende horário para você presentear quem ama

20/12/2018

Mamãe Noel espera visitantes e turistas na loja com balinhas e sorrisos

 

Os dias e noites vão se afunilando e o Natal está cada vez mais perto. Os ponteiros do relógio parecem andar acelerados e os dias dão a impressão de estarem bem mais curtos. Todo final de ano é a mesma coisa: as pessoas correm desenfreadas no vai e vem pelas calçadas para resolver todas as pendências antes de desligar o ritmo e ter o merecido descanso ao lado da família e amigos. O Natal está batendo à porta e a Casa da Mamãe Noel, uma requintada e elegante loja no coração do centro da cidade, abre suas portas diariamente, agora com período de atendimento ampliado para propiciar mais tempo e comodidade aos clientes que buscam agradar e surpreender os amados. Até o dia 23 de dezembro (domingo), antevéspera de Natal, das 10h às 22h, ininterruptamente.

Ao público estão disponíveis mais de mil artigos, desde preços mais acessíveis até peças mais elaboradas a valores um pouco mais elevados, na loja situada na rua Correia Pinto, ao lado das lojas Havan. A Casa está aberta desde o dia 1º de dezembro e expõe o trabalho sutil e delicado das mãos de artesãos de Lages.

E tem mimo e agrado para todos os gostos: pai, mãe, irmão, filho, tio, avô, madrinha, sobrinho, afilhado, esposo, namorado, paquera. Nove grupos de artesanato preparam cada peça exclusiva manualmente e organizam as prateleiras e expositores com capricho, detalhismo e o charme e minúcia típicos das artes manuais, um verdadeiro vitrinismo de primor e refino. Arte Terapia, Associação Tramatusa de Artesanato, Cia do Vime (Gilmar de Liz Rosa), Lúcia Artes, Ciranda Artes, Criart’s, Chico’s Couro, Associação Lageana de Artesanato e Luz e Vida, com engajamento de aproximadamente 50 participantes.

O valor arrecadado por cada instituição serve para agregar renda às artesãs e artesãos, um pé de meia para o final de ano e férias destes artistas. As matérias-primas valorizam a riqueza regional, como fitatusa, vime, lã, algodão, madeira, couro, pinhão, além de vidro, PVC, EVA, feltro, e técnicas como costura, crochê, tricô, bordado, biscuitpatchwork, pintura, pirografia e aplicação de pérolas e flores. Para quem gosta das tentações gastronômicas do Natal, doce é o que não falta, as tradicionais bolachas pintadas, biscoitos caseiros do tempo da vovó, geleias de frutas, doce de gila e souvernirsde Lages e Serra.

Os artistas da terra

Ana Lúcia Arruda Cunha é uma das artesãs da Associação Tramatusa, da qual fazem parte 19 mulheres, entidade que utiliza como matéria-prima a fitatusa, elemento residual de descarte da indústria de papel e celulose. A produção com volume e enfoque no Natal começou lá em setembro.

No espaço reservado à Tramatusa, organização preocupada com o meio ambiente a partir do aproveitamento do material sustentável, um de seus diferenciais, é possível admirar, pesquisar e adquirir itens a R$ 3, a exemplo de modelos de chaveiro, além de cestas, fruteiras, ninhos que representam o aconchego da casa da gralha azul, estes a R$ 30, garrafas de vinho de enfeite a R$ 15 e R$ 20, bem como pratos, gamelas, floreiras, bala-cupim, despraiado, serviços americanos e guirlandas a valores diversificados. Para quem pode e quer gastar mais, há produtos de R$ 100, como tapetes e jogos de patchwork em outros estandes. “Com a liberação da segunda parcela do 13º salário, nossa projeção é de que as vendas aumentem. A localização da loja é muito boa e a fachada está linda, chama a atenção de todas as pessoas, ainda mais com este fluxo intenso agora a cinco dias do Natal. Nós mesmas saímos e fazemos o chamamento dos consumidores na rua, é divertido. Estamos de braços abertos para receber todos com felicidade e ótimas opções de lembranças decorativas e funcionais”, justifica a artesã da Tramatusa, Ana Lúcia.

O grupo Tramas e Manhas possui três artesãs e se juntou a outras quatro do Ciranda para se tornarem ainda mais fortes na Casa da Mamãe Noel. O Tramas e Manhas oferece artigos de maxicrochê, maxi tricô, em tear, fios de algodão e de malha. Maxi colares, bolsas, cestos organizadores de plantas mini-sucululentas, organizadores de escritório, porta-cervejas, porta-panetones e guirlandas (estas a R$ 69) são alguns dos produtos encontrados na loja. “Nós somos três ex-professoras que decidiram se unir e montar o grupo há um ano, presentes na Feirinha de Artesanato da Joca Neves mensalmente”, salienta Marizilda Heinzen Coelho.

Nos dias de folga, o policial militar Sérgio Silveira Straubel ajuda a esposa, a artesã Lúcia Mara Straubel, que produziu as mais de 100 peças à venda na Casa da Mamãe Noel. Conforme as saídas, Lúcia faz a reposição para atender a demanda.

São aromatizantes de ambientes, vidros decorados, porta-joias, vasos de flores artificiais ornamentais, capas para cadernos e cadernetas de vacinas personalizadas, chinelos, letras e nomes de MDF, entre tantas outras opções.

Os presentes partem de R$ 5 (chaveiros de tecido em forma de letras) e bonecas de pano ao valor de R$ 80 a R$ 100. De preços intermediários têm as guirlandas, de R$ 45 a R$ 50, as líderes de vendas. Sérgio calcula que os artesanatos elevam a renda da família com R$ 800 em 15 dias de comercialização. “Ela fica em casa na confecção e eu nas vendas”, comenta Sérgio, pai de dois filhos, de 17 e três anos de idade.

A Arte Terapia oferece toalhas e panos decorativos natalinos a R$ 20; a Ciranda tem bonecas de pano e ovelhas artesanais a R$ 44; Chico’s Couro tem cantil revestido de couro com estampa de time de futebol a R$ 30, e a Luz e Vida tem presentes de R$ 20 a R$ 100, como bonecas de tecido temáticas: Sereias, bruxas e santas. A Casa da Mamãe Noel foi especialmente preparado pela prefeitura de Lages, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo e Fundação Cultural de Lages (FCL), em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). Informações sobre peças e preços podem ser consultadas no Facebook e Instagram da Fundação Cultural de Lages.

Texto e foto: Daniele Mendes de Melo