(49) 3019 7481
R. Benjamin Constant, 141 Centro, Lages - SC

Teatro lotado para prestigiar alunos do projeto Lages Melhor

01/12/2018

Com o propósito de descentralizar a arte e a cultura, o projeto atende centenas de crianças e adolescentes, de todas as classes sociais

Mais de 400 pessoas, entre pais, familiares e amigos, lotaram o Teatro Marajoara nesta sexta-feira (30 de novembro). Esta foi a primeira de uma série de noites de apresentações dos alunos do projeto Lages Melhor, vinculado à Escola de Artes Elionir Camargo Martins, da Fundação Cultural de Lages (FCL). Quem prestigiou o evento pôde conferir apresentações de balé, street dance, canto e coral e violão.

O projeto, idealizado pelo prefeito Antonio Ceron, está em seu segundo ano de execução. Através de uma parceria com as Associações de Moradores, conta com oito núcleos instalados nos bairros Habitação, Guarujá, São Paulo, São Francisco, Santa Mônica, Vila Maria, Penha e no Distrito Salto Caveiras.

Com o propósito de descentralizar a arte e a cultura, atende a centenas de crianças e adolescentes, de todas as classes sociais. “Através deste projeto, estamos dando oportunidade a esses jovens a darem um impulso nas suas vidas. Sei da importância da arte na formação de cidadãos, pois minha filha, desde seus três anos de idade, teve na dança sua inspiração. Trouxemos estes princípios para nossa gestão à frente da prefeitura, pois o poder público tem o compromisso de proporcionar igualdade a todas as pessoas. Desejo que sejam descobertos muitos talentos, e mais do que isso, que eles saiam daqui homens e mulheres de bem”, comenta o prefeito.

Para o superintendente da Fundação Cultural de Lages, Gilberto Ronconi, esta foi uma oportunidade de mostrar à comunidade o trabalho e dedicação de um ano todo. “O envolvimento de todos para que o projeto fosse possível é muito importante, pois toda semana são realizados ensaios no contraturno escolar, e proporcionar uma atividade cultural a essas crianças é enriquecedor”, destaca.

Já está garantida a continuidade no ano que vem, e as aulas devem reiniciar em março. O projeto é aberto a todos, sem distinção de gênero ou idade. “No núcleo do Salto Caveiras um aluno com mais de sessenta anos se inscreveu nas aulas de violão e está adorando a experiência”, conta Giba.

Familiares orgulhosos na plateia

Para muitos, subir ao palco pela primeira vez é um sonho realizado. Na plateia, pais e familiares não escondiam o orgulho e a expectativa para a grande noite de espetáculos. Jane de Fátima Ribeiro veio do bairro Caroba e trouxe toda a família, desde avós e tios, para a apresentação de balé da pequena Hadassa, de seis anos. Este é o segundo ano dela no projeto, e pretende continuar no ano que vem. “Ela adora o balé, e fazer as aulas assim, tão pertinho de casa é muito bom para nós”, diz.

Quem não perdeu a apresentação no Canto e Coral da pequena Micaela, de oito anos, foi a mãe Jadina Roberta da Silva e o pai Leonardo Rodrigues de Lima. Mesmo com o irmãozinho recém-nascido, com apenas 12 dias de vida nos braços, estavam lá prestigiando a primeira apresentação da filha no palco do Marajoara. “Estamos muito orgulhosos dela e não podíamos perder a apresentação, pois a deixou muito feliz”, comentam.

E com o mesmo entusiasmo, estava Heloisa Souza, que veio conferir a apresentação do bisneto Luan, de nove anos, que aprendeu a tocar violão ano passado pelo projeto. O menino mora no bairro Várzea e frequenta o núcleo no bairro Habitação há dois anos. “Foi uma descoberta para ele. Agora não larga o violão em casa”, conta.

 

Foto: Marcelo Pakinha